fbpx

ORIENTAÇÕES NA ALIMENTAÇÃO

alimentação saudável em tempos de COVID-19

Alimentação 

Uma alimentação equilibrada é um dos pilares para a boa saúde e pode ser uma grande aliada contra a Covid-19 ajudando no aumento da imunidade do organismo.

Coma mais fruta e hortícolas

Opte por uma sopa de hortícolas ao almoço e jantar e 3 peças de fruta e dentro do grupo das frutas e hortícolas escolha aqueles com maior durabilidade, evitando comidas industrializadas, açúcar e excesso de gordura.

Beba água ao longo do dia e sem açúcar

Manter um bom estado de hidratação é essencial, vá bebendo água ao longo do dia. Beba por dia 1,5 a 1,9L de água (8 copos de água). Não desconte a ansiedade  na bebida alcóolica. O álcool em excesso pode provocar queda da imunidade. É importante ter moderação neste período.

Aproveite para recuperar a presença do feijão, do grão e das ervilhas à mesa

Em tempos de muitos enlatados em casa, pode ser uma oportunidade para voltar a valorizar as leguminosas, que são fontes de fibra e vários nutrientes importantes.

Mantenha a rotina das refeições diárias

Durante este período em que está mais por casa, evite o consumo de alimentos com elevada densidade energética e baixo valor nutricional e não se esqueça, para os snacks escolha opções mais saudáveis, evitando opções com excesso de açúcar e sal ao longo do dia.

Aproveite esta oportunidade e cozinhe saudável com os seus filhos

Neste período por casa, há oportunidades que se criam, portanto, use o seu tempo livre para ensinar os mais novos a cozinhar de forma saudável.

Faça uma alimentação completa, variada e equilibrada, seguindo os princípios da Roda dos Alimentos

Coma alimentos do grupo da roda e beba água diariamente, aproveite e coma em maior quantidade os grupos com maior dimensão e em menor quantidade os grupos mais pequenos e vá variando diariamente e ao longo do dia, consumindo alimentos diferentes dentro de cada grupo da roda dos alimentos.

Aceda aqui a vários manuais:

ESTOU EM ISOLAMENTO. E AGORA?

isolamento

Está em casa?

Se lhe foi indicado isolamento, devido ao Coronavírus , fique a saber quais as medidas recomendadas e os cuidados que deve ter em casa.

Em primeiro lugar, deve permanecer na sua residência e não deve dirigir-se ao trabalho, à escola ou a espaços públicos.

Permaneça numa divisão própria e evite contactar com outros em espaços comuns e não partilhe pratos, copos, utensílios de cozinha, lençóis ou outros objetos pessoais.

Quando estiver com outras pessoas, utilize sempre máscara e cumpra as recomendações de lavagem das mãos e de etiqueta respiratória, além disso, monitorize os sintomas e coloque os seus resíduos num saco próprio.

EM CASA COM A SUA FAMÍLIA

Deve ser evitado o contacto com a pessoa com sintomas, especialmente se pertencer aos grupos vulneráveis, tais como:  idosos, doentes crónicos, imunossuprimidos e grávidas. Preferencialmente, deve ser uma única pessoa a cuidar de quem está doente.

Após o contacto com o paciente ou com o seu espaço deve lavar as mãos com sabão e água ou com uma solução à base e álcool, além disso, desinfete com frequência torneiras, interruptores e maçanetas das portas, especialmente se a pessoa doente usar espaços comuns.

ESTANDO EM ISOLAMENTO, POSSO RECEBER VISITAS?

Não. Apenas deve frequentar a habitação quem coabitar com a pessoa com COVID-19. Em caso de necessidade de contacto urgente com alguém que não coabite com a pessoa em isolamento, o contacto deve ser feito por telefone.

NÃO PODE

Resumindo , as pessoas que estão em isolamento não devem fazer deslocações para o trabalho, escola, espaços públicos ou outros locais.

Não deve receber visitas em casa, ter contactos desnecessários e sobretudo com pessoas mais velhas ou com doenças crónicas.

Não utilize espaços comuns com outras pessoas presentes, incluindo nos períodos de refeições.

Também não é aconselhável partilhar artigos de higiene pessoal; partilhar a utilização de objetos, se tal não for possível, desinfete os equipamentos antes e depois de cada utilização e uso um caixote de lixo só para si.

FonteDGS

Grupos de risco Covid-19

Faz parte do grupo de risco?

Grupos de risco Covid-19

Quais as pessoas com  mais risco? 

Os grupos de risco são as pessoas com:

  • idade avançada (65 anos ou mais)
  • doenças crónicas pré-existentes como:
  • doenças cardiovasculares
  •  diabetes
  • doença crónica respiratória
  •  hipertensão
  • doença oncológica
  • sistema imunitário comprometido

Tenho mais de 65 anos. Posso sair de casa?

Sim, mas para sua segurança deve:

  • usar máscara cirúrgica sempre que sair de casa
  • não permanecer em espaços públicos com mais de 20 pessoas
  • distanciamento de pelo menos 2 metros das outras pessoas
  • regras de higiene das mãos e etiqueta respiratória

Posso deixar as crianças com os avós?

Não se recomenda que as crianças estejam ou fiquem com os avós por estes serem considerados um grupo de risco (quando têm mais de 65 anos). Apesar de as crianças serem menos afetadas por esta doença e de terem sintomas mais ligeiros, podem transmitir o vírus a outros.

Tenho diabetes. Posso sair de casa?

Deve evitar sair de casa, uma vez que as pessoas com diabetes fazem parte do grupo de risco. Todas as pessoas com o sistema imunitário enfraquecido e portador de doenças crónicas têm maior dificuldade em enfrentar a doença. Deve por isso ter atenção redobrada às medidas de prevenção e evitar sair de casa a não ser para situações de extrema necessidade.

Qual o risco para quem tem doenças autoimunes e toma imunossupressores?

É difícil definir com exatidão qual o grau de risco para estas situações, mas é assumido que, à semelhança do que acontece com outras infeções, os tratamentos com imunossupressores aumentam o risco de doença mais grave, no entanto, a não toma destas terapêuticas pode trazer um risco para a saúde do doente ainda maior que o potencial risco do COVID-19. Por isso, cada caso terá de ser individualizado e sempre discutido com o médico assistente.

Vivo com uma pessoa que pertence a um grupo de risco. Devo ficar em casa ou posso continuar a trabalhar?

A indicação do Governo é o recurso ao teletrabalho sempre que seja possível, no entanto, e caso não seja possível, deverá adotar todas as recomendações das autoridades de saúde quando sai de casa e quando regressa, como a lavagem das mãos e a lavagem da roupa utilizada.

Estou grávida, pertenço ao grupo de risco?

Não. Apesar de o número de casos de infeção COVID-19 em grávidas não ser elevado, devemos assumir que o risco é o mesmo da população geral. Esta é a conclusão do Núcleo de Estudos de Medicina Obstétrica (NEMO) da Sociedade Portuguesa de Medicina Interna (SPMI), pelo que recomenda que as grávidas devem cumprir as medidas de redução de contágio como o isolamento social e a etiqueta respiratória.

Ser asmático é uma condição de risco para a infeção por COVID-19?

Quem tem asma é considerado um grupo de risco. Por isso, aconselham-se as medidas de isolamento social recomendadas pela Direção-Geral da Saúde:

  • mantenha-se em casa: só deve sair de casa se for estritamente necessário. Evite o contacto próximo com pessoas
  • proteja-se: por ser uma pessoa com maior risco de infeção deve manter sempre a terapêutica que cumpre regularmente
  • cumpra as regras de higiene e etiqueta respiratória
  • em caso de agravamento: iniciar a medicação SOS que habitualmente toma em crises e contactar o SNS24 – 808 24 24 24
  • preste atenção aos sinais e sintomas: se ficar doente, permaneça em casa e ligue para o SNS24 – 808 24 24 24

Os doentes oncológicos devem fazer o teste à COVID-19?

Devem fazer o teste os seguintes doentes oncológicos, mesmo que não apresentem sintomas:

  • antes de iniciar tratamento de quimioterapia
  • durante o tratamento de quimioterapia, antes de cada administração, mas nunca com uma periodicidade inferior a uma semana
  • antes de iniciar radioterapia
  • durante o tratamento com radioterapia, uma vez por semana
  • antes da admissão para tratamento cirúrgico

As medidas de distanciamento social e restantes recomendações gerais, são particularmente importantes nestes doentes, enquanto grupo de risco. Por isso, todos os doentes oncológicos devem fazer autovigilância dos sintomas (febre, tosse e dificuldade respiratória), antes de aceder a qualquer unidade de saúde, de forma a informar atempadamente a equipa de profissionais de saúde.

Os fumadores estão em maior risco de infeção e desenvolvimento de doença grave por COVID-19?

Não existem estudos que confirmem esta questão. No entanto, se a pessoa fumadora já tiver problemas respiratórios ou cardíacos, isso pode contribuir para o agravamento da situação clínica, caso se infete com COVID-19. Um fumador de longa data já apresenta alterações pulmonares que podem estar associadas a quadros de pneumonia em caso de infeção por COVID-19.

FonteDGS

CENTRO CLÍNICO SÃO CRISTÓVÃO