FASES DOS IMPLANTES DENTÁRIOS

Quais as fases de um tratamento de implantes dentários?

Quais as fases de um tratamento de implantes dentários? Inicialmente é realizada uma consulta de avaliação. Posteriormente, é feito um diagnóstico e estabelecido um plano de tratamento adequado ao seu caso.

FALTA DE DENTES 

A perda de um ou mais dentes pode causar vários problemas se não forem substituídos, condicionando a estética, a mastigação e a fonética. Quando existe a falta de um dente, os dentes adjacentes tendem a mudar de posição inclinando-se para esse espaço e os oponentes que não têm contacto, tendem a extruir, ou seja “sair do osso”. Acabando por invadir o nível oclusal podendo encontrar-se em contatos prematuros que atrapalham a oclusão (mordida) e sobrecarregam as articulações.

Assim, a zona desdentada, vai apresentando perdas ósseas significativas, devido ao facto de não ter estímulo dentário, tornando-se uma zona mais frágil, afetando a forma como se aplica a pressão sobre os dentes durante a mastigação, podendo ter um impacto muito negativo nos músculos e articulação mandibular. Algumas das soluções podem passar por próteses dentárias ou implantes dentários. Qual a melhor opção para o seu caso?

FASES DOS IMPLANTES DENTÁRIOS: PLANIFICAÇÃO, CIRÚRGICA, RESTAURADORA OU PROTÉTICA E MANUTENÇÃO

Em termos gerais, inclui quatro fases: a fase de planificação, a fase cirúrgica, a fase restauradora e a fase de manutenção. De seguida explicamos de forma resumida cada fase.

FASE I – FASES DOS IMPLANTES DENTÁRIOS

A PLANIFICAÇÃO

A fase de planificação poderá ser mais ou menos complexa dependendo do quadro clínico inicial. No entanto, e em termos gerais nesta fase realiza-se o estudo do seu caso com recurso a um exame clínico e radiográfico, elementos necessários para determinar o plano de tratamento e assim evitar eventuais complicações. Dependendo da sua situação poderá ter de existir a realização de outros tratamentos dentários para conseguir alcançar um grau satisfatório da sua saúde oral prévia ao tratamento com implantes.

FASE II – FASES DOS IMPLANTES DENTÁRIOS

A FASE CIRÚRGICA

A fase cirúrgica consiste na colocação do implante no osso. Trata-se de um procedimento normalmente indolor efetuado com anestesia local. A duração da intervenção varia consoante a complexidade da intervenção (número e localização dos implantes, volume de osso disponível…). No entanto, pode acontecer que haja a necessidade de realizar outras cirurgias dependendo do seu caso clínico. Por exemplo, um quadro clínico onde existe uma limitação em termos de quantidade de osso, o que obriga a procedimentos cirúrgicos prévios para o conseguir.

E quando o paciente tem pouco osso na zona desdentada?

Nos dias de hoje existem no mercado novos sistemas de implantes com múltiplos tamanhos, o que permitem ao médico dentista um maior leque de escolha em função da altura versus a largura do osso disponível. Além disto, existe também a possibilidade de recorrer aos enxertos ósseos autólogos, com osso do próprio doente. Agende a sua consulta de implantologia no Centro Clínico São Cristóvão.

FASE III – FASES DOS IMPLANTES DENTÁRIOS

A FASE RESTAURADORA OU PROTÉTICA

A colocação do implante é um processo cirúrgico relativamente simples, mas que exige uma planificação cuidada. Uma vez colocados os implantes, começa a fase de cicatrização. O osso irá reconstituir-se à volta do implante de forma indolor. Esta fase, denominada “osteointegração”, é necessária para suportar a colocação de novos dentes e assegurar uma estabilidade perfeita. Durante este período, pode eventualmente ser colocada uma prótese provisória por razões estéticas. Nesta fase é onde se vai colocar a coroa ou prótese sobre os implantes. Existe um  conjunto de procedimentos que pode implicar várias consultas, até se alcançar a reabilitação definitiva desejada.

Esta fase pode ser realizada no mesmo dia da cirurgia ou até 6 meses após a mesma, dependendo do caso clínico, e quando os implantes já se encontram osteointegrados. A osteointegração, em média, acontece seis meses depois no maxilar superior e quatro meses depois no caso da mandíbula.

FASE IV – FASES DOS IMPLANTES DENTÁRIOS

A MANUTENÇÃO

Uma vez terminada a fase restauradora, o tratamento não está ainda terminado. A fase de manutenção é possivelmente a mais importante de todo o tratamento pois é aquela que permite que tudo o que até aqui foi realizado se mantenha saudável ao longo da vida. Na verdade, é a partir daqui e dos cuidados de higiene oral realizados pelo paciente e pelo Médico Dentista que vai depender a duração e qualidade do tratamento realizado.  Uma manutenção insuficiente pode conduzir a gengivites (inflamação da gengiva) ou a peri-implantites, ou seja, a inflamação dos tecidos à volta do implante.

IMPLANTES DENTÁRIOS

Fique a conhecer melhor o procedimento cirúrgico que está na base deste tratamento. O processo de colocação de um implante dentário é, atualmente, uma intervenção cirúrgica segura e frequente, apresentando uma taxa de sucesso bastante elevada.

Agora que já tem uma ideia sobre as FASES DOS IMPLANTES DENTÁRIOS, agendamos consulta para que possa esclarecer as suas dúvidas?

Centro Clínico São Cristóvão

Ligue 915 307 915  ou 214 944 231 ou 214 925 682.

Ou em alternativa, envie-nos um email  e nós contactamos.

Siga-nos no facebook, clique em Gosto e seja o primeiro a saber todas as novidades.

IMPLANTE: CONSTITUIÇÃO

composição de um implante dentário

Como é constituído um implante dentário? 

Os implantes dentários são uma das opções mais confortáveis para os pacientes. Mas concerteza já se perguntou,  qual a constituição de um implante dentário? Os implantes dentários são estruturas metálicas em titânio, um material com elevada biocompatibilidade. Podemos dizer com rigor, que o implante dentário apenas compreende o parafuso que vai substituir a raiz ausente. É também normal ouvir-se dizer que são “raízes artificiais”, utilizadas para substituir os dentes ausentes ou perdidos com o objectivo de suportar uma coroa e/ou prótese.

Os implantes dentários têm uma estrutura simples e robusta tornando-se assim a nova fundação para a coroa dentária e devolvam todos os atributos que um dente natural teria.

A composição de um implante dentário:

  • Base: é o parafuso (implante propriamente dito) geralmente feito em titânio puro ou de ligas de titânio , já que este é um material altamente biocompativel, que é fixado ao osso, formando assim uma base estável. O corpo do implante é também constituído por três partes, a saber:
  • O cume, ou seja, a porção superior do parafuso;
  • O corpo, isto é, a parte intermédia do implante;
  • O ápice, ou seja, a ponta final do dispositivo.
  • Conector/Pilar: Segura a coroa fazendo ligação com a base. O pilar do implante é a parte intermédia do implante, que se situa entre o parafuso fixado no osso e a coroa. É o suporte que garante a eficaz fixação entre estes dois dispositivos e que, portanto, segura a prótese fixa. É, geralmente, feito de titânio ou de cerâmica.
  • Coroa: a coroa dentária é a parte do implante que fica visível na boca do paciente, portanto, a parte superior de todo o mecanismo, ficando fixa no pilar. Esta é a parte  que se assemelha visualmente a um dente natural. As coroas mais utilizadas são feitas em porcelana ou cerâmica, materiais que permitem imitar mais perfeitamente a cor natural dos dentes. Contudo, há também coroas dentárias em ouro, em acrílico e em ligas de metal.É importante realçar que as coroas dentárias finais só são, habitualmente, colocadas no pilar do implante ao cabo do processo de ósseo-integração, que dura alguns meses.

O implante dentário é a única forma de substituir um dente perdido? 

Não. Quando se perde um dente, existem várias formas para repor a estética e a função, e nem todas incluem a utilização de implantes. O paciente pode optar por outras soluções, tais como as próteses removíveis e as próteses fixas.

Necessita de esclarecer as suas dúvidas? E que tal agendar já uma consulta?

Centro Clínico São Cristóvão

Ligue 915 307 915  ou 214 944 231 ou 214 925 682.

Ou em alternativa, envie-nos um email  e nós contactamos.

IMPLANTES DENTÁRIOS

Quais as fases de um tratamento de implantes dentários?

Falta de dentes? Os implantes dentários são uma solução segura para a substituição de um ou mais dentes. No entanto, o problema vai muito além da simples perda de dentes. Nas zonas edêntulas [desdentadas] irá acabar por existir reabsorção óssea e,  consequentemente, perda de volume facial nessa zona, conferindo ao rosto um aspeto mais envelhecido. Numa situação em que o paciente tem falta de dentes, é importante que se aconselhe junto do seu médico dentista sobre a possibilidade de colocação de implantes dentários ou outra solução.

As causas para a perda de dentes podem ser diversas, desde cárie dentária, doença periodontal (dos tecidos circundantes ao dente), traumatismos, medicamentos, inflamação dos tecidos de suporte do dente (parodontite), ausência do germe do dente (agenesia) doenças sistémicas e também a idade. Após uma avaliação do seu quadro clínico, poderá  tomar uma decisão informada e consciente de todos os passos e da duração do seu tratamento. Considere a possibilidade de optar por implantes dentários e reponha os seus dentes perdidos de uma forma fixa e segura.

Quais as fases do procedimento para implantes dentários?

Apesar deste variar de acordo com cada paciente, as fases que o constituem são comuns a todos os casos e englobam 4 etapas: planeamento, fase cirúrgica, reabilitação protética e manutenção.

Antes de uma cirurgia para a colocação de implantes dentários, dependendo o estado de saúde oral do paciente são necessários cuidados (se aplicáveis, mediante a condição oral do paciente no momento) e tratamentos como a limpeza de tártaro, extrações de dentes, preenchimento de cavidades, restaurações, colocação de próteses ou outras.

Em casos mais extremos, como aqueles em que o paciente não tem quantidade óssea suficiente para a colocação dos implantes, poderão ser realizados enxertos ósseos. Se não for possível realizar o enxerto ósseo desta forma, é também comum utilizarem-se biomateriais de origem laboratorial, disponíveis no mercado. Além desses cuidados, também poderá ser necessários exames laboratoriais ao sangue  e exames de imagem (radiografias e tomografias).

Uma higiene oral deficiente poderá comprometer o sucesso da reabilitação e a longevidade dos seus implantes dentários, mas não só.

Então o que deve fazer para preservar a vida dos seus implantes ?

Deixamos alguns conselhos:

  1. Utilize pastas de dentes adequadas e aconselhadas pelo seu dentista
  2. Pratique uma boa higiene oral – Escove os dentes três vezes por dia e utilize o fio dental diariamente. Utilize escovas de dentes interdentais, escovas que deslizam entre os dentes podem ajudar a limpar mais profundamente ao atingir áreas em volta do implante.
  3. Consulte o seu dentista – Limpezas e exames a cada seis meses podem ajudar a garantir que seu implante esteja em boas condições, e que continue dessa forma.
  4. Pare de fumar – Fumar pode enfraquecer a estrutura óssea e pode contribuir para falhas no implante.

IMPLANTOLOGIA

Agende uma Consulta e Comece o Seu Tratamento Dentário

implantologia dentária tem evoluído bastante nos últimos anos, existindo na atualidade uma grande variedade de soluções para a substituição de dentes em falta, adaptada a cada doente, permitindo readquirir a autoconfiança e melhorar a qualidade de vida. O recurso ao implante dentário é uma forma de melhorar a aparência do seu sorriso, ajudando a recuperar a sua confiança e qualidade de vida.

Um implante dentário é um cilindro de titânio com superfície roscada que se coloca dentro do osso dos maxilares e que vai funcionar como se fosse a raiz dos nossos dentes. Os implantes dentários podem ser utilizados para substituir qualquer um dos dentes (incisivos, caninos, pré-molares ou molares), desde que haja sustentação óssea.

Após a colocação dos  implantes dentários deve-se aguardar o período de cicatrização e ósseo-integração do mesmo para que o paciente volte a ter uma mastigação completa em todos os âmbitos.

O tabaco e a diabetes, são alguns factores que podem influenciar no sucesso do tratamento, devendo ser avaliados previamente.

Agende já a sua consulta no Centro Clínico São Cristóvão para saber mais. Ligue:  915 307 915.